Recomeçar

Imbicto leitor,

O último artigo do Imbicto Miguel Lima, no seu Tomo, espelha, palavra por palavra, aquilo que penso, sem me conseguir embalar, ainda, pelo optimismo e crença absoluta que o Imbicto Jorge Vassalo tem.

Com esta introdução pretendo dizer que, infelizmente, a maré arrastou-me para um local profundo do qual dificilmente sairei, salvo grande baixa-mar. Os movimentos da lua lá foram tornando a coisa fatalista e tornando habitual a crença na descrença. Porém, entendo perfeitamente aquilo que move o Jorge Vassalo e outros tantos já que, factualmente, existe um passado e, ainda mais fiável que isso, tomadas de posição recentes cuja última Assembleia terá obrigado a mudar de forma de estar. E esse é um problema, o facto da direcção ter precisado de um “aperto” para entender que tem de reconhecer que esta(va) no caminho da desgraça para mudar.

Era inevitável. Nos últimos dias estivemos perante episódios impensáveis de ataque ao FC Porto e aos seus integrantes formais. De forma elevada e àquilo que fomos habituados nas últimas décadas, Pinto da Costa respondeu ao episódio paranormal com o reforço de uma proposta de prolongação de contrato a Casillas. Curioso, ou não, e como demonstração do que a casa gasta, o semanário Sol ainda andava a tocar na mesma tecla, no Facebook e nas suas publicações, quando o pedaço de entretenimento escrito já fora desmontado um pouco por todo o lado e, inclusivamente, já depois de PdC ter transmitido a intenção referida como prova de confiança, ao mesmo tempo que tecia críticas irónicas à publicação espanhola. Não deixa de ser extraordinário, portanto, como, tomando este como exemplo no meio de tantos que fizeram o mesmo – e tendo este jornal recorrido a um “afinal” passado um dia para desmentir a notícia -, haja ainda um intervalo tão grande entre o facto noticioso, a investigação e os seus desenvolvimentos, em plena era da informação, na qual um indivíduo qualquer no Twitter parece saber mais do que um profissional dedicado cuja preocupação sindical, em vez desta, parece ter outras prioridades.

Facebook Casillas.png

Entretanto, parece que o Rui Cerqueira também falou oportunamente, para chamar a atenção daqueles que vêm às nossas conferências de antevisão de jogos para meter nojo. É bom porque, da última vez que ouvi a voz dele foi aquando da entrevista a Lopetegui, aqui há um bom tempo atrás, sem perceber muito bem o que lá estava a fazer…

Os sinais são, de facto, positivos. Sinais de inversão cuja derrota do FC Porto em andebol frente aos coisos, espero, não tenha nada que ver com isso… (agora estou apenas a ironizar, até porque o apito foi “engraçade”…).

Eu quero acreditar nesse recomeço. Quero, mas custa-me. Não boto fé, francamente, embora ache que, para quem tanto fez é difícil esquecer a arte, mesmo que dê a ideia que já dele (PdC) não mais depende o comando, de tanto que já não sabe, ou não assume como responsabilidade sua inerente ao cargo. Afinal, para e de que serve um presidente? Que eu saiba, o cargo ainda não é o de uma rainha de Inglaterra, certo?

 

Esta é, portanto, a última oportunidade da qual não depende o título, mas antes o que se fará para dar a entender que, de facto, estamos a retomar o caminho correcto e a corrigir as más escolhas e os maus hábitos instalados – a começar na dedicação dos jogadores nos jogos que faltam e a terminar na projecção da equipa efectivada para a próxima temporada.

Neste momento, há apenas uma questão: o que acontecerá depois da reeleição? O que agora se faz, para mim e em momento eleitoral, como demonstração de cuidado, vale, ainda, pouco mais que zero.

Imbicto abraço!

 

P.S.: Depois de sabido o resultado do sorteio da Champions só me ocorre uma coisa: “pela boca morre o peixe”…

Anúncios

3 thoughts on “Recomeçar

  1. Caro Imbicto Poema!

    O que agora me parece é que vamos ter de aguardar para ver…
    O grande timoneiro, que foi, se não se cuidar, corre o risco de se deixar abandalhar e quando tiver de sair, fazê-lo pela porta pequena. Esperemos que não. Mas como não há fumo sem fogo, suspeito que talvez seja verdade o facto de presentemente no Clube, andar alguma gente sem mérito e sem escrúpulos, a safar-se (enriquecer) à grande, à custa do prestígio de Pinto da Costa. E a ser verdade, será que acontece porque PdaC se habituou aos tais que gravitam à sua volta, que são grandes aduladores, e, que estes por serem convenientes ou satisfazerem a sua vaidade pessoal, conseguiram obter o estatuto de indispensáveis para o Chefe…?!
    Entretanto, para já há o problema da falta de alternativa à situação actual, ou seja, os possíveis candidatos que começam a fazer ondas, casos de Baía e António Oliveira, talvez tenham algum carisma, mas falta-lhes um verdadeiro discurso incisivo e aglutinador, se calhar, por falta de audácia, bagagem e competência.
    Noto que há mais competência e melhor discurso em muitos dos administradores de blogues portistas do que nas duas personalidades acima mencionadas.
    No seio dos portistas existe alguém também carismático, mas que se mantém calado e possivelmente na expectativa, que é o Fernando Gomes Bibota d’ouro.
    Outras personalidades que me parecem muito válidas. uma é o Bernardino Barros e outra o Pedro Marques Lopes, assim eles quisessem assumir uma candidatura à presidência do FC Porto.

    Abraço,
    Armando Monteiro

    http://www.dragaoatentoiii.wordpress.com

    Gostar

    1. Imbicto Armando,

      Não sei se uma hipotética solução poderia passar por personalidades que, embora notáveis, não demonstraram publicamente ter as competências 360º que PdC sempre demonstrou.
      Seja qual for o futuro, uma coisa já todos sabíamos, mesmo que não estivéssemos a passar por esta fase menos boa: substituir um presidente como este e com a memória que deixa, é impossível – a não ser que esperemos mais 30 anos para ver, em contínuas conquistas.
      Candidaturas partidas de blogues, não acredito. Escrever não chega. É necessário ser reconhecido e ter uma base de suporte perfeitamente identificada com a identidade e História do clube. Os blogues e os seus autores têm um papel fundamental, mas como uma espécie de órgão informal e barómetro de observância sobre os actos de gestão e de exibição desportivas e financeira (na primeira ordem).

      Não consigo apontar alguém, pois sempre que me lembro de alguém, embora tenha uma perspectiva definida do seu lado público, não seu como e o que pensa deste FC Porto e do que quereria implementar. Assim sendo, as alternativas poderão muito bem ser inesperadas e, a contar com isso, não é por acaso que PdC vai semeando os seus inimigos, muitas vezes voluntariamente, para se demarcar e catalogar como “indesejável”, inclusivamente nos putativos que ocupam lugares de topo em órgãos nacionais.

      Imbicto abraço!

      Gostar

  2. @ imBicto

    ‘muito obrigado!’ pela referência 😉

    quanto ao Essencial, e depois dos mais recentes desenvolvimentos do ‘affaire’ convite ao Serpa, fica difícil para mim acreditar. eu quero acreditar, mas abomino a Mentira. e a verdade é que ele mentiu aos sócios. e se o fez em relação a este ‘não-assunto’, sobre o que mais terá mentido? é nisto que actualmente penso…

    abr@ço forte
    Miguel | Tomo III

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s