Iker C(o-m)as-ilhas

Imbicto leitor,

Dias longos, estes. Dias iguais, estes. Traços de tempo que parecia o de ontem.

Negoceia-se, quebra-se. Garante-se, rompe-se. Intenciona-se e oficializa-se. Foi mais ou menos este caminho, trilhado e mastigado em setenta e duas horas de loucura, emoção, desrespeito, raiva e sentimentos recalcados – uns mais escondidos do que outros.

Já quase tudo foi dito e não serei eu a dar novidades. Eis a minha opinião:

Acção – Reacção

Este é o resumo de quem vê tudo isto de fora e não tem o privilégio de contar com um nome tão grande associado, sequer, ao seu clube:

Antes: Grande guarda-redes! O Mourinho é um urso e está a tentar fazer no Real o que fez com o Baía no Porto… O melhor da História!

Durante: LOL Casillas no Porto lololololol ahahah Queres ver ahahah Não vês que está só a usar o clube para fazer chantagem! Nunca na vida! Ainda por cima, velho. Se viesse iria quilhar o balneário todo ahahah Olha ele e o Quaresma! Se calhar, vai fazer concorrência aos frangos do Ricardo… Esse bufo!

Depois: Imagens de Casillas a chorar, passando a ideia de pessoa frágil; imagens em loop de frangos; imagens pornográficas de vencimentos; imagens dos pais do Saúl Ricardo… perdão! Do Casillas! A dizerem que o FC Porto é um clube de 2ªB… Não! 3ª! Espera… se passar mais um dia dizemos distritais e ninguém se lembra…

É por estas e por outras que o ser humano é uma criatura me(r)dosa.

Prestígio

O FC Porto já superou os três milhões de likes no Facebook. E não, não tinha menos likes do que o benfas. Vocês, srs jornalixtas, é que andam a passar a ideia de que algo é o que não é, como sempre e com a falta de objectividade do costume. Neste momento, os números começam a descolar e uma nova realidade chega ao FCP: os glory hunters – indivíduos de baixíssima personalidade que se comportam mimeticamente em rebanho e que nada têm que ver com a natureza do FC Porto. E, felizmente, nesse aspecto – materialmente e não formalmente – somos orgulhosamente um clube de segunda. Só cá anda e apoia quem faz falta, mesmo perdoando a assobiadela daqueles assobiativos tristes que, se calhar, apuparão o Casillas no seu primeiro frango ao serviço do nosso clube.

Esqueçam as vendas de camisolas. É um guarda-redes. Esqueçam as somas de dinheiro: isto não é o Real e não é por cá estar “emprestado” um deles que vamos passar a ser um clube de carneiros… Perdão! Massas… Para além do mais, as somas de direitos de imagem são do jogador. Para além do mais, elas só rendem, efectivamente, com a sua imagem colada ao maior clube do mundo (facto), mesmo que eu nem sequer goste deles.

Ainda assim, aí está mais reconhecimento, mais fama, mais oportunidade de patrocínios directos e indirectos, mais mediatismo e imediatismo. Mais uma demonstração daquilo que poderá ser um FCP pós-NGP. A miúda dele talvez seja mais uma boa manobra, bem como a quantidade de paparazzos que vão andar atrás do home e dizer que se está a divertir no restaurante do James, com algumas referências arquitectónicas ao fundo.

Não se esqueçam de que o Porto é muito bem referenciado em todos os aspectos na vizinha Espanha. Isto será menos uma desculpa para Rui Moreira não nos receber em casa como elemento fundamental de promoção geográfica e cultural – isto se conseguir baixar um pouco do pedestal feito ego responsável por tudo o que de bom tem surgido na cidade dos últimos anos…

Desportivamente falando…

O homem não está morto nem para lá caminha. Tem, pelo menos, mais dois anos de excelente rendimento antes de ir ganhar umas massas valentes para as terras do Tio Sam, ou do Tio Xeique. Isto é uma passagem habilmente e estrondosamente preparada pela estrutura em época de vacas magras, onde faltam investidores e nomes que ao saberem que o Casillas não se importou de vir, também virão. Sim! Vacas magras. Falaremos daqui a uns meses, se tiveres a capacidade de abstracção e análise necessárias para fazer contas e ignorar a palha servida em bandeja de papel.

Não haja ilusões. Titularíssimo da baliza, relegando Hélton ao papel que o Casillas desempenhou passivamente no Real. Sim, a vida é mesmo uma treta. Especialmente quando isto acontece e quando nos esquecemos que o orgulho e amor em relação ao guardião se esbatem com a preferência do nome Casillas. Temos tudo a ganhar e nada a perder. Assim como ele tem tudo a ganhar, inclusivamente um lugar na selecção para 2016 e um lugar saudoso dos madrilistas que farão peditórios à velinha para o homem voltar e acabar lá, engolindo-se a si próprios de vergonha pelo que lhe fizeram e engolindo outros dirigentes de humilhação e factura em forma de cabeça, onde nem o teatro de hoje convenceu os mais parvinhos.

Não vale a pena chover no molhado. Casillas é enorme. Não provocará problemas de balneário e, possivelmente, será capitão daqui a um ano. Uma extensão de um treinador hábil que, ao contrário do que se diz, não tem as coisas de mão beijada, mas beija a mão das coisas para as ter. Lopetegui trabalha muito, cala bocas e assume-se como o projecto de homem que o futebol contemporâneo exige: aquele que domina todos os aspectos desportivos e económicos de um clube.

Os dividendos começam dia 12, no Barnabéu, altura em que um grande patrocinador não quererá perder a oportunidade de estar estampado ao nosso peito: o peito feito de um clube histórico e incomum que ousou realizar o que dos outros é não mais que sonho impossível.

Aproveitem e fixem! Isto é de contar aos netinhos… Acho que nenhum de nós percebeu bem ainda a dimensão daquilo que está a acontecer. A mesma dimensão que calará as intenções de qualquer invejoso que tente ousar a não reconhecer Casillas como o mais bem pago e o mais prestigiado do plantel. É o gajo que esteve com Zidane, Figo, Beckham, Ronaldo e portistas recém-convertidos. É o gajo que conheceu Suker, Roberto Carlos e Raúl de bem perto. É o gajo que sabe o que é ganhar, sempre, como sempre, contra muitos e contra todos. É o gajo que sabe o que é ganhar tudo e a quem ninguém pode ensinar algo, mas que pode ensinar tudo. São factos e evidências que o jogo com o Real calará – como calou a gentalha jornaleira que se humilhou em aplauso, na sua despedida, os mesmos que ajudaram a cavar uma cova a um dos maiores guerreiros desportivos que as balizas conheceram até hoje. Esta mesma gente que usa e abusa de outros direitos como os de Luís Adrego, o autor da capa que se vê no as.

E sim… assim, com todos os olhos cá depositados, será mais difícil haver #colinho e lavagem cerebral. Por dois anos, o campeonato nacional será um lugar melhor e mais prestigiado do que aquilo que esta escumalha merece…

Imbicto abraço!

Anúncios

18 thoughts on “Iker C(o-m)as-ilhas

  1. Mesmo no ponto amigo!

    E para os críticos que dizem que Casillas nada cá vem fazer eu recordo uma coisa que parece que muita gente já se esqueceu… os Campeonatos ganham-se na defesa.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s