A barragem

Imbicto leitor,

Renovo, em permissão tua, meu caro, o pedido de desculpas! O Twitter tem sido um escape desastroso dos meus impulsos, já que não consigo ter net pelo tempo suficiente que me permita escrever um artigo mais ou menos de jeito como este. Obrigado, por isso, à operadora de símbolo satânico que continua a dar cabo da minha paciência e da qualidade de vida de um indivíduo que viva no séc. XXI! Obrigado sem ironias à tua santa paciência!

Bom, vamos ao concreto, antes que também esta rede falhe…

Hoje quero ser breve ao falar do circunstancialismo. Imagina-te a seguir rio abaixo (Douro, é claro!). Imagina que o teu rabelo deixa de ver um sem fim de água à sua volta e, de repente, encontra um entrave que lhe marca a passagem a um novo trecho do mesmo rio. Abre-se a comporta, desces pela artificialidade do teu cubículo e ei-lo! Um todo caminho do mesmo lugar a percorrer, do reinício, bem lá do fundo, quase do nada navegável que a circunstância te obriga a percorrer em limites intransponíveis. Já não voltas atrás; já não olhas para trás.

Ora pois, é aqui que estamos! As preocupações desta nova época já te fizeram esquecer a merda que fizemos no Restelo, certo!? E aqueles cartazes das claques? O ir de férias e o coiso? Sim! Só vai há um mês e pico, pá!

SD

Nova fase, novos desafios; novos problemas, novas críticas: os eternos insatisfeitos. Assobiativos que inundam o silêncio onde estavam tão bem… Críticas porque, supostamente, vamos para a Segunda Liga, para o ano, numa espécie de síndrome dos dementes que pedem coisas e que se esquecem das mesmas a seguir. É que se é só para meteres nojo, põe-te no ……., como diz, e bem, o Tello:

tello caralho

Agora, um pouco menos confuso do que aqui, sei que o Jackson já foi, supostamente, pelo menos na “intenção“. É que isto das CMVM é coisa séria e chata e que se comunique a tempo útil e conveniente de “ambos os dois”, que se pagou(?) o exigido. Espero que a tal “intenção” seja real, de preferência sem pinguinhas e com Óliver, depois de uma pré-temporada de trampa que espero que faça, no Atlético. Já não estou para me chatear com o indivíduo “cafetero” nem com os amuos dele, ou do Pompeo. Espero é que o “Chau Chau Chau” não veja efectivada a promessa de “Dragom de Oiro”, já que prefiro que se dê sem pertinência a Herrera, a dar com impertinência a pessoas que não passam de grandes profissionais. Ponto final.


Agora, o que interessa! Um certo gajo vindo do sul de França deve ter recolhido a melhor opinião de Lucho para vir cá parar. Chama-se Imbula e é uma espécie de William de Carvalho com esteróides.

Eu sei que o FC Porto é um clube de uma dimensão superior, ainda que inferior a outros – pelo menos no subconsciente do rapaz de 22 anos que diz adorar o projecto. Lopetegui fez o seu trabalho, como se sabe, e voltou a calar os que dele dizem mal – não é, Sr. Serrão(!?). Mas agora o assunto mais a sério… 20 milhões? Leste bem! 20 milhões!!! Quase um milhão por cada ano de idade do gajo que, ao que dizem, ainda vai trazer um companheiro de equipa…

Não sei se há gente inocente, distraída, ou recalcada. Mas o facto, com os dados que temos, é o seguinte: o FC Porto não pode pagar estas quantias, por muito que argumentem com o retorno futuro e com o potencial de crescimento. Primeiro, porque o retorno é sempre incerto. Segundo, porque com um passivo correspondente a 250% do seu orçamento anual, basta fazer as contas para perceber o buraco em que estamos metidos (ou em que nos meteram). E por muito que se argumente com hipotéticos e alegados aproveitamentos de gente da estrutura em relação ao clube, uma coisa também é certa: nem tudo o que são milhões de venda é lucro! Não só pelas partes que, há dez anos, se envolvem em negócios e contrapartidas conjuntas com o clube, mas também porque um clube não é só passes de jogadores e mercado de equação compra vs. venda, Há salários a pagar, há instalações a manter, há promoções a fazer, há jantares e cafés úteis a pagar, há dívidas a pagar e há cerimónias a realizar. Obviamente que não há santos! Mas também não será a desconfiança do destino do dinheiro dos passes que responderá a tudo. Eu preocupar-me-ía mais com o facto de haver elementos da SAD a serem aumentados em anos de desgraça desportiva, no que ao futebol concerne. Isso sim, é grave, pois consta nos RC. Basta compará-los.

Certo, certinho, é que 20 milhões é muita fruta. Sim, fruta (e rima com outra palavra para onde te mandarei se vieres com as criquices do costume). São cerca de mais cinco do que Casemiro, que poderá ir, por esse preço, para outras paragens e que já estava rotinado por cá e connosco. É uma cacetada das velhas, num negócio que talvez não seja o maior de sempre no futebol nacional, como empurra o benfiquista de Paredes aos micros da pública, mas pouco igualmente distributiva RTP, como tão bem e universalmente observa em mudança, o Jorge Vassalo. Este Imbula vai sofrer pressão pior do que a de Danilo, ou Hulk, num risco que se corre e que esperemos que não seja o do Alex Sandro. A ver vamos, esperando por resultados e sem sermos candidamente convencidos de valores adquiridos/ despendidos.

Resumindo, o que me incomoda é o desespero. É a falta de calma. É a conclusão precipitada. É a bipolaridade. É o irrealismo em que vivem pessoas que querem mística, que vêem meninos do clube a jogar feito históricos do Porto, mas só ficam contentes com o Imbula sem se preocuparem se as finanças do clube têm a mesma dimensão rota do financiamento dado à Grécia – pelo menos até ontem…

Minha gente, isto é sério! Gerir um clube não é muito diferente de gerir a vossa casa, mas com outras dimensões, na devida proporção gradual. Pelo menos, assim ensina a prática que deu origem aos manuais de Microeconomia, onde os primeiros capítulos são sempre sobre isso. É preciso calma, paciência, esperar pelo seu tempo para opinar e barafustar. E se não for assim em tua casa, então é porque alguma coisa está mal, com o devido respeito!

Agora, que venha o Danilo Pereira, que jogue o Sérgio e que traga raça, o André André! Daqui a outro mês – e nem aí seria pertinente, talvez – estaremos aqui para regozijar, ou para aniquilar “opinativamente” quem se atreveu a defraudar as expectativas dos mais crentes, racionais e defensores de um modelo que se quer sustentável – mesmo que às vezes não o pareça… Mas por vezes, nem tudo o que parece é. Sempre alegadamente.

Imbicto abraço!

Anúncios

8 thoughts on “A barragem

  1. Assertivo e acertado, caro Imbicto.

    Apenas uma achega quanto ao paralelismo entre gerir o clube e gerir a casa/empresa: ainda que na teoria seja de facto semelhante, a práctica de várias décadas tem demonstrado um suporte institucional à fuga para a frente, ainda que de tempos a tempos se tenha que partir para outras instituições de suporte.

    Não estou a dizer que concordo com o esquema, mas também não vejo outro de momento. Sobretudo agora, que estamos à duas épocas sem cheirar o sucesso…

    Partilho a preocupação quanto ao futuro, mas divido-o em dois: o imediato e o “menos próximo”. E é o primeiro que mais me interessa.

    Do Porto com Amor

    Liked by 1 person

    1. Imbicto LAeB,

      Entendo a perspectiva, mas temo que a preocupação com esse mesmo sucesso possa cegar e comprometer a fiabilidade e estabilidade da existência do clube.
      A fuga para à frente tem essas duas hipóteses: a sorte e o desastre. Ambas semelhantes a outros casos. O problema é que a probabilidade do desastre é grande quando estamos inseridos no nosso “comesinho” (como diz o Miguel Lima) futebol. O retorno expectável é sempre o mesmo: do retorno dos passes. Desportivamente, poderemos manter a confiança enquanto formos para lá dos grupos da Champions, mas… E se não passarmos?

      Resumindo, é muito risco. Tenho a noção da tal manutenção da competitividade, como já tive a oportunidade de dizer noutros artigos, mas a estrutura em que nos inserimos, o contexto e o retorno para lá da compra e posterior venda de activos, é um modelo pouco sustentável pois depende em demasia de externalidades.

      A ver vamos, sempre com a certeza de que cá estaremos para apoiar, ou julgar, quem nos leva a bom, ou mau porto.

      Imbicto abraço!

      Gostar

      1. Meus amigos, estamos a esquecer-nos de uns pormaiores:

        Do lado do fifica, o plantel é o que é, as vendas são as possíveis (Gaitán já foi vendido a 3 clubes) e não duvido que vão investir, mas o NGP já está a pressionar a arbitragem e duvido que deixemos passar o colinho. E se não tivesse havido esse, às tantas não estaríamos tão preocupados… Além do mais, eles também tem de jogar a Champions como os crescidos, este ano, senão vai tudo por água abaixo…

        E quanto ao zbordem… bem… é o que se vê. Não conseguem contratar ninguém, estão em guerra com tudo e todos e o Jesus sem colinho… vai-se ver o que é.

        Já agora, pode ser marketing, mas este Tello dos últimos meses… estou a gostar!

        Abraço Azul e Branco,

        Jorge Vassalo | Porto Universal

        Liked by 1 person

      2. Imbicto Jorge,

        Tens toda a razão, mas, como se costuma dizer: “com o mal dos outros posso eu bem…”.
        É factual que os adversários directos partirão em desvantagem, por muito que o jornalixo queira fazer parecer uma partida a dois, onde não estamos incluídos…
        Hoje mesmo, aquela figura com nome bíblico disse que quer ganhar tudo o que houver… em Portugal. Está tudo dito.
        A bomba dos outros, continuo à espera…

        Enfim…
        Trata-se, mais do que uma questão de referência e comparação, de uma questão de princípio. Poderemos vir a colher bons frutos deste investimento que, provavelmente, nem é totalmente pago pelo Porto, nem é totalmente pago, sequer. Portanto, a ver vamos. Mas estou preocupado, pois não acho que este “gambling” contínuo seja a resposta para uma estabilidade plena e contínua.

        Imbicto abraço!

        Gostar

  2. …. Fernando Gomes não é um mentecapto…
    …. Antero Henrique não é um malfeitor…
    …. Lopetegui não é um estúpido…
    …. Pinto da Costa não é um irresponsável…
    …. É isto que penso destas pessoas….

    Gostar

    1. Imbicto ega,

      Eu próprio acho que o peso da estrutura arrasta consigo um seguidismo pouco saudável. Coloca-se os inimigos numa caixinha devidamente categorizada e os outros, os seguidistas, que tratem do resto, sem perceberem o que se passa.

      Fernando Gomes, com toda a certeza, não é mentecapto. Mas por isso mesmo é que pode estar a trilhar o caminho errado em relação a potenciais aspirações num regresso já pouco provável ao FCP.
      Tudo o resto tem a minha concordância. Mas vivemos em sociedade. E a mimesis é o estado puro das tribos, infelizmente…

      Imbicto abraço!

      Gostar

  3. ….grande Velho eu estava a referir-me ao nosso director financeiro F.Gomes…e confesso, sou um crente relativamente ás pessoas que me são próximas, no entanto, tal como diz a minha santa mãe “….somos todos sérios até nos começarmos a rir….”
    Imbicto Abraço!

    Gostar

    1. Ah bom! Lapso meu, meu caro!

      O problema desse Fernando é outro… é o do passado. Não tivesse ele sido o que foi, estado onde esteve e colaborado com quem colaborou, e estaríamos agora a ter outra conversa.

      Sábias palavras as dos nossos mais velhos 😉

      Imbicto abraço!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s